Para forçar Governo a negociar, grupo ameaça obstruir pauta

image_pdfGerar PDFimage_printImprimir

O deputado Valdir Barranco (PT) disse que ao menos oito parlamentares já concordaram em obstruir a pauta da Assembleia Legislativa caso o Governo do Estado não se mobilize de imediato para por fim à greve dos professores da rede pública, iniciada em maio.

“Nos reunimos ali e pelo menos uns oito já estão de acordo: vamos obstruir a pauta nessa Casa enquanto o governador [Mauro Mendes] não der resposta decente aos profissionais da educação”, disse Barranco, em discurso na tribuna nesta quinta-feira (11).

Como a pauta já está sobrestada para votação de vetos, basta que os deputados se ausentem das sessões para ocorrer a obstrução.

Barranco sugeriu que Mendes aceite a proposta formulada pela Assembleia na última quarta (10) e que prevê o pagamento da dobra salarial da categoria (7,69% de aumento real) de forma escalonada.

“Tenho dito que o governador só não resolve agora o problema da greve se ele não quiser. Está no colo dele. Ontem fizemos essa proposta e os profissionais da educação aceitaram”, disse.

“Na nossa visão, o governador só não paga se não quiser. Por essa proposta, ele pode colocar fim na greve”, emendou.

Escalonamento

A sugestão formulada pelo Legislativo foi encaminhada ao governador por meio de um ofício assinado pelo presidente Eduardo Botelho (DEM) e subscrito por 18 deputados.

A proposta prevê um primeiro pagamento de 2,6% na folha salarial de agosto;  a segunda parcela (2,6%) entraria na folha de novembro e a última (2,49%) em fevereiro do ano que vem.

O documento informa que o pagamento da elevação salarial será possível em razão do incremento de receita verificado nos primeiros meses do ano e o previsto para os próximos meses.

Segundo os deputados, houve um incremento da receita estadual por meio do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) no primeiro quadrimestre no valor de R$ 282,2 milhões. (Por: Mídia News)

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *