Contorno Leste é ‘descartado’ e BR-158 segue por traçado original, diz ex-prefeito de São Félix

image_pdfGerar PDFimage_printImprimir

O Ex-prefeito de São Félix do Araguaia Filemon Limoeiro anunciou em redes sociais que o governo federal deve abandonar o projeto do Contorno Leste e seguir com o traçado original da BR-158, dentro da terra indígena Marawãtsédé. Segundo ele, a informação foi confirmada em reunião ocorrida em Brasília, com o ministro de Infraestrutura.

De acordo com Filemon, as informações foram passadas na última segunda-feira (10), por telefone, pelo ex-governador Carlos Fávaro (PSD), que se reuniu com o ministro Tarsídio Gomes de Freitas. Atualmente, Fávaro assume o Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat), vinculado à Casa Civil, em Brasília.

A desistência do projeto que estabelecia o Contorno Leste à reserva indígena, pode ser explicada pelo alto custo que ele representaria. Segundo Filemon, o governo federal pagaria seis vezes mais dando a volta em Marawãtsédé, do que deve pagar nos 120 km do traçado original, cortando a terra indígena.

A diferença em quilometragem de aproximadamente 70 km e o fato de o acesso ser uma região com morros e muitos pontos alagadiços devem ter pesado na decisão. Pelo contorno, uma faixa de 190 km, a BR-158 conectaria por asfalto os municípios de Bom Jesus do Araguaia, Serra Nova Dourada e Alto Boa Vista.

O contorno teve seu projeto e estudos ambientais aprovados pelo Ibama e pela Funai, após anos de articulação política, sobretudo dos municípios que viriam a ser beneficiados. Um trecho, entre o Posto Luisinho e a cidade de Alto Boa Vista, até chegou a ser licitado, mas foi suspenso, com representação no Tribunal de Contas da União.

Entre as lideranças indígenas, era unânime que a rodovia devia contornar Marawãtsédé. Mas eles também chegaram a pedir que, antes da definição do traçado, as autoridades levassem em consideração a questão arqueológica da região.

Os Xavante acreditavam que a construção do contorno poderia se sobrepor a lugares onde, no passado, existiram aldeias e cemitérios de seu povo. A solução seria um desvio do desvio.

Audiência em Água Boa

A expectativa é que o anúncio oficial da mudança do projeto seja feito na próxima sexta-feira (14), na audiência pública que ocorre em Água Boa. Com a presença do ministro Tarsídio Gomes, o evento busca discutir a obra da Ferrovia de Integração do Centro Oeste (FICO) e outras demandas de desenvolvimento da região.

Autoridades políticas também devem aproveitar a presença do estado e da União para cobrar a demanda pela rodovia TO-500. Se construída, a estrada ligará a região norte de Mato Grosso ao estado de Tocantins.

Compartilhe